Os primeiros passos da jornada…

Há muitas pessoas que querem ser escritores, mas não sabem por onde começar. Por algum tempo, este humilde escriba foi uma delas.

Motivado por textos, conversas e até mesmo um podcast, eu decidi dar início a uma longa jornada de aprendizado.

Embora aparentemente árduo, o caminho não é impossível de ser trilhado, especialmente se contarmos com os conselhos de alguns autores conceituados.

Eu tenho uma relação conturbada com o tempo: nunca consigo conciliar sua passagem com algumas atividades que gostaria de realizar. Trabalho, estudo, família, lazer, estas coisas sempre encontram um lugar em minha agenda, mas por que é difícil encaixar aquelas paixões às quais eu desejo dedicar-me?

Pensei (e li) muito sobre isso nas últimas semanas e conclui: falta-me organização e planejamento.Sempre amei escrever. Impelido por este sentimento, criei este blog com o objetivo de divulgar meus textos, desenvolver meu estilo, aprender com as críticas, mas, acima de tudo, organizar-me.

Caneca motivacional: nada como café para as madrugadas insones.

Não é algo fácil – desviei-me da proposta original diversas vezes –, mas aprendi o bastante para tentar novamente. Na verdade, recentemente, duas coisas motivaram-me a isso: um podcast de uma entidade careca e um artigo do blog literário do jornal Guardian.

No Laboratório do Dr. Careca, o autor J.M. Trevisan disponibilizou um podcast especial onde ele e o escritor Leonel Caldela (Trilogia Tormenta) discorrem sobre escritores, editores e outros tópicos voltados à produção de livros.

Embora um pouco longo demais, o papo entre ambos foi esclarecedor, especialmente o tópico sobre a metodologia empregada por Caldela na produção de seus romances (assunto abordado por volta dos 10 minutos de reprodução).

O artigo do Guardian foi publicado em duas partes e contém uma seleção de dicas de escrita propostas por autores bem conceituados, entre eles Neil Gaiman (Sandman, Stardust) e Michael Moorcock (Elric of Melniboné Saga). Identifiquei-me com muitas sugestões dadas ali, mas uma (das mais freqüentes ao longo do texto) atingiu-me em cheio: se você quer escrever, então escreva, não fique só na vontade.

Conclusão: elaborei uma coletânea com 86 dicas que pretendo utilizar como base para criar uma metodologia própria – este ainda é um número alto e tentarei filtrar o que é realmente essencial desta lista.

Escrevendo Ficção – Guia para Patetas: o caminho das pedras… sem as pedras!

Ademais, estou organizando melhor minha agenda, reservando espaço para esta minha paixão e planejando a semana antecipadamente – algo que aprendi num blog voltado para quem quer organizar bem o tempo de que dispõe (talvez eu fale mais a respeito disso no futuro).

No próximo post, eu disponibilizarei a primeira versão de minha metodologia. Se o leitor também é um aprendiz de escritor ou se as idéias deste texto despertaram seu interesse, eu sugiro escutar o podcast do Dr. Careca e ler o artigo do Guardian (em inglês; veja os links abaixo).

E fica aqui a sugestão aos autores espalhados por toda a grande rede mundial: que tal compartilhar a metodologia de vocês? Quais são as suas dicas de escrita?

Para saber mais:

  1. Laboratório do Dr. Careca: ouça o podcast com dicas para escritores com J.M. Trevisan e Leonel Caldela.
  2. Guardian.co.uk: veja a primeira parte do artigo contendo dicas de autores conceituados (em inglês).
Opiniões recentes
  1. Danilo Samuel dos Santos
    • Escriba Encapuzado
  2. straightedgeriot
    • Escriba Encapuzado
    • Escriba Encapuzado

Comente à vontade!

%d blogueiros gostam disto:
%d blogueiros gostam disto: