Dia 3: Ambientação e Cenário – 30 Dias de Construção de Mundo

WorldbuildingEste é o terceiro de 30 artigos sobre construção de mundos escritos por Stephanie Cottrel Bryant e traduzidos por muá, Diogo Ruan Orta. Publicado em 2007 para participantes do NaNoWriMo, este tutorial prático e baseado em livros sobre o tema permanece uma ferramenta útil.

Ontem escrevemos pelo menos dez artifícios de enredo relativos ao tempo, e vimos como eles poderiam impactar a história. Hoje relacionaremos aqueles climas do dia 1 com a ambientação e o cenário que queremos pra nossa história. Pegue seu caderno e um relógio aí e separe alguns minutinhos para a leitura e o exercício do dia.

Quer mais dicas? Vá ao perfil WattPad do T. K. Pereira e procure por um livrinho chamado Guia do Construtor de Mundos. Recomendo dar uma conferida, já que os textos de lá complementam os deste tutorial – sim, foram escritos pela mesma autora. Segue o chefe por lá pra ficar por dentro.

30 Dias de Construção de Mundo, por Stephanie Cottrell Bryant
Dia 3: Ambientação e Cenário

Já deve estar claro agora que muitos dos meus exercícios não são apenas sobre como construir um mundo realístico. Eles tratam da construção de um mundo que te permita contar uma história. Afinal, construir mundos é divertido, mas se esses exercícios estão sendo realizados, é provável que você não esteja interessado em passar 2000 horas construindo algo que não terá nenhuma aplicação prática em sua história, não é mesmo?

Então, pegue sua lista de climas do dia 1 e olhe para ela. Você deve ter um punhado de climas, talvez até locais, e uma palavra ou duas descrevendo suas sensações enquanto esteve por lá.

Bem, é hora de tomar a primeira decisão real sobre seu romance. Que tipo de ambientação você quer que ele tenha? Note que definiremos seu romance de modo que o clima contribua para o tema e a ambientação geral.

A ambientação de um romance determina a sensação provocada por sua leitura. Alta fantasia ocorre, tradicionalmente, em um clima semelhante ao da Europa ou da Inglaterra, graças ao pai da fantasia heroica, J. R. R. Tolkien em pessoa. No entanto, não precisa ser sempre assim, e você pode provocar uma sensação completamente diferente a partir de um cenário desértico como o Oriente Médio ou túndrico como a Rússia.

Fantasia - Tolkien - Floresta - Deserto - Primavera - Verão

Quanto ao tema, você pode adaptar seu cenário ao que quer que esteja ocorrendo de fato no romance, seja lá qual for a mensagem que este tenha para passar. Por exemplo, se a ideia do romance é que todos vivam em um constante estado de incerteza, talvez você deva optar por situá-los numa região vulcânica sismicamente ativa (eu digitei este texto a apenas 77 milhas de distância do Monte Santa Helena, o qual pode entrar em erupção de uma hora pra outra). Ou talvez você queira que sua história soe mais “escapista”. Nada “escapa” tanto quanto uma ilha tropical de dias balsâmicos, tempestades no meio da tarde, plantas verdes exuberantes, e um clima que não varia sazonalmente, mas que permite algum tempo tempestuoso e excitante.

Se você já sabe que deseja “escrever algo sombrio e gótico” e lá na sua lista de climas estão as palavras “sombrio” e “gótico”, então pronto: você tem seu clima predominante; tudo que vier depois disso se resume a descobrir como construir um mundo em torno dessa ambientação e clima.

Se agora mesmo você está pensando algo como “não faço ideia do tipo de ambientação que quero – essa pessoa está louca se acha mesmo que eu saberia disso assim tão cedo” então o exercício abaixo é TODO SEU; ele levará 10 minutos e o resultado será uma primeira decisão importantíssima sobre seu romance. E não se sinta mal por não saber que tipo de romance vai escrever – ninguém sabe de fato até escrevê-lo.

Exercício de Hoje:

Leia sua lista de climas do dia 1 e em seguida apanhe um pedaço de papel em branco. Feche os olhos e pense numa sensação que você gostaria de ter ao escrever ou ao ler. Anote quatro palavras que combinem com essa sensação: dois adjetivos, um verbo, um nome. Agora volte para a página com sua lista de climas e emoções. Alguma delas combinam? Se a resposta for sim, então você encontrou seu clima. Se for não, tente encontrar palavras mais semelhantes.

Se você passar 10 minutos de fato pensando sobre isso e ainda assim não conseguir se decidir, pegue dois climas que expressem ambientações das quais goste. Você pode se decidir depois, e pode até mesmo construir seu mundo com ambos os climas inspirando locais prováveis para sua história.

Amanhã tem mais exercício! Quer compartilhar o seu? Use os comentários. 😉
Direitos

Os exercícios de construção de mundo estão sob uma licença Creative Commons que permite tradução, distribuição para grupos de escrita, venda (com permissão), reimpressão (para uso não comercial) ou cópia exata, todos com os devidos créditos à autora do texto original, Stephanie Cottrell Bryant.

Esta tradução NÃO pode ser distribuída de forma alguma senão em trechos curtos dos textos (até 100 palavras), desde que seja visivelmente dado crédito ao tradutor (Diogo Ruan Orta) e desde que haja um link direcionando para o site Escriba Encapuzado.

Favor respeitar o trabalho árduo de tradução do amigo Diogo.

Para saber mais:

  1. Dia 2: O Planeta Físico – 30 Dias de Construção de Mundo: neste segundo exercício da série, você vai avaliar como o clima pode impactar sua história.

Especial NaNoWriMo:

  1. 30 dias para escrever um livro – saiba mais sobre o evento no primeiro artigo da série sobre o evento.
  2. As críticas e o valor do desafio – saiba porque o evento é visto com desconfiança por escritores e demais profissionais do mercado editorial.
  3. Como escrevi um livro em 30 dias – onde detalho minha participação no evento em 2012.
  4. Diário de escrita – onde falo sobre valor de se manter um diário e compartilho o meu próprio.
  5. Guia de sobrevivência – dicas para aqueles que ousarem aceitar o desafio!
  6. National Novel Writing Month: página oficial do evento (em inglês).
Sem opiniões

Comente à vontade!

%d blogueiros gostam disto:
%d blogueiros gostam disto: