Supere a Procrastinação com Estas Estratégias Fáceis

Write to Done

Write to Done é uma fonte valiosa de informações para romancistas, blogueiros, publicitários e autores de não ficção. Editado por Mary Jaksch, autora de obra traduzida em 7 idiomas, este site parceiro disponibiliza o eBook gratuito The (nearly) Ultimate Guide to Better Writing e inúmeras dicas que serão compartilhadas aqui em traduções regulares.

O texto de hoje é de Gail Brenner, psicóloga e autora de The End of Self-Help. Confira o artigo no idioma original.

Desculpas Esfarrapadas - Procrastinação - Talvez - Ainda não - Outro dia - Semana que vem - Depois - Nunca - AgoraSe você é escritor, então é provável que esteja familiarizado com a procrastinação.

Ela baixa como uma neblina.

Ela te envolve antes que você perceba.

E lá está você, conferindo o e-mail pela milionésima vez ao invés de focar na tarefa em mãos.

Recriminar-se ou desejar que não aconteça dificilmente irá te ajudar. Mas parar e encarar a procrastinação, entender o que ela é e como ela te surpreende – isso é fortalecedor e conduz a soluções que te colocarão de volta no caminho certo.

Não ache que você eliminará a procrastinação para sempre. Pelo contrário, você aprenderá a lidar com ela quando acontecer.

Quando perceber que está procrastinando, veja isso como uma oportunidade.

Reconheça a procrastinação. Chame-a pelo nome.

Daí pegue busque em sua caixa de ferramentas a perícia adequada que o animará a escrever novamente.

Vamos sair do nevoeiro e vestir nossos chapéus de exploradores, aqueles com uma lanterna em cima. Vejamos com o que estamos lidando de fato.

O que é Procrastinação?

Procrastinar significa dizer que você está vivendo em plena terra do “deveria”. E quando foi que “deveria” já serviu para alguma coisa? Em essência, você está dizendo “estou fazendo isso aqui, mas eu deveria estar fazendo aquilo lá”. Você está se colocando pra baixo e rejeitando este momento como não sendo bom o suficiente.

Quando você pensa que deveria estar fazendo algo diferente do que já está fazendo, dois lados íntimos pegam em armas. Você está lutando contra si mesmo e isso te esgota e trava.

Você consegue aprender a ser mais gentil consigo mesmo?

Respire, e veja o momento pelo que ele é.

Não se trata de achar que você não deveria estar procrastinando. Eis a verdade: sua atenção dispersou. Tudo bem.

Agora, seja prático. O que você pode fazer para voltar a ser focado, eficiente e criativo?

O Caminho Através da Procrastinação

O que chamamos de procrastinação tem tudo a ver com evasão. Repleto de boa intenção e de altas expectativas, você começa a trabalhar em um projeto. Mas antes que perceba, você está ocupado pesquisando alguma informação fascinante ou imaginando o que preparará para o almoço.

Como isso aconteceu?

Você pode descobrir a resposta rebobinando e reproduzindo a cena em câmera lenta. O que você notará é que você procrastina quando seu projeto:

  • Parece chato ou desinteressante;

  • Dispara medos: da rejeição, de ser incapaz, de ser imperfeito;

  • Ativa um padrão de autocrítica e pensamentos de dúvida: não posso, não sou bom, ninguém dará a mínima.

Viu como se tornar consciente disso te fortalece?

Quando você aprende a lidar com os pensamentos e os sentimentos que alimentam a procrastinação, estes param de te sabotar.

Então você está livre para decidir como proceder.

Familiarize-se com cada uma dessas reações e pratique as ferramentas que as abordam. A procrastinação não mais será sua nêmesis. Ao invés disso, ela será seu tapinha no ombro, a voz suave e amável que te leva novamente a sentir-se satisfeito, vivo e feliz.

Tédio

O tédio pode ser sorrateiro, como você já deve ter notado. Não há nenhum sinal de neon que pisque “estou entediado”. Ao invés disso, seu foco vai esvanecendo aos poucos e você percebe não estar envolvido na atividade em mãos, sua atenção perdida no éter.

O macete: o antídoto para o tédio é o engajamento. Se você está procrastinando por estar entediado, tente isso:

  • Reconecte-se com a excitação relacionada ao projeto no qual está trabalhando;

  • Lembre-se de sua missão, da razão pela qual você está escrevendo: ajudar, entreter, educar ou inspirar pessoas – e mantenha-a em primeiro lugar na mente e no coração.

  • Use um cronômetro. Eu gosto do kukuklok.com porque é possível escolher o som do alarme. Acerte-o para 30 minutos, depois mãos à obra. Nota importante: ele funciona como um relógio de 24 horas, logo 3:00 PM é 15:00h.

  • Descanse fazendo algo prazeroso, depois carregue essa sensação de prazer de volta para seu projeto.

  • Trabalhe sua energia caminhando, pulando ou se alongando. Deixe sons espontâneos emergirem de você. Não se preocupe – ninguém está ouvindo.

  • Trabalhe em alguma outra coisa por um tempo que te envolva mais.

  • Considere a possibilidade de modificar o projeto de algum modo que te traga prazer.

Medo

O medo ignorado praticamente garante que você procrastinará. Deixe o medo florescer e você deslizará para atividades estúpidas e até prejudiciais. Eu sei que você quer evitar o medo como uma praga, mas garanto que será útil encará-lo de um modo amigável e acolhedor.

Se você quer manter-se vivo e engajado em seu trabalho, leve a sério essa história de lidar com o medo.

O macete: saiba como o medo surge em você. Lembre-se, consciência é fortalecimento. Torne-se totalmente consciente do medo, e então aplique perícias para evitar deixá-lo no comando.

  • Seja curioso e compassivo ao explorar o medo.

  • Volte sua atenção para o medo. Mergulhe nele. Descubra como ele se expressa em pensamentos assustadores sobre o futuro e nas sensações físicas em seu corpo.

  • Reconheça que o medo não é seu inimigo – trata-se de uma emoção humana natural.

Agora, deixe o medo de lado. Literalmente, levante-se e se afaste dele. Talvez você tenha de fazer isso 100 vezes por dia, mas tudo bem. Cada vez aquietará o medo um pouquinho mais. Encontre o local de sabedoria e claridade em você que é mais forte que o medo, e deixe que isso o guie.

Pensamentos Restritivos

Crenças repressoras e negativas sobre si mesmo e suas habilidades são uma marretada em seu entusiasmo. Se este hábito rasteja até você enquanto está escrevendo, não é surpresa que você esteja tendo dificuldades em permanecer focado.

O macete: tendemos a assumir que nossos pensamentos automáticos são verdadeiros sem investigá-los. Serão mesmo?

  • Questione cada pensamento para determinar se é verdadeiro ou não. (Dica: não é).

  • Observe como os pensamentos negativos afetam seu corpo, mente e emoções.

  • Veja que esses pensamentos não estão te ajudando.

  • Respire profunda e limpamente até que os pensamentos passem.

  • Traga compaixão para o doloroso local em você que dá vazão a tais pensamentos.

  • Reconecte-se com sua intenção verdadeira, a qual é muito mais real, viva e expansiva que seu pensamento autocrítico.

Percebe como a procrastinação é uma oportunidade?

Toda vez que você perder seu foco, olhe pra dentro de si – com curiosidade e admiração. Você está entediado, com medo ou consumido pelo pensamento negativo?

Uma vez que você tenha identificado a fonte da procrastinação, use a ferramenta certa para o trabalho. Seu conflito e resistência desaparecerão, deixando você renovado, energizado e pronto para escrever novamente.

Agora, de volta pra você.

O que alimenta sua procrastinação? Quais estratégias te ajudam a superar a procrastinação?

BÔNUS: comentário de PtronAV

Eu acrescentaria que a procrastinação surge porque outra coisa é mais fácil. Muitas vezes a inspiração em nossa mente vem facilmente. Podemos imaginar tudo bem claro na mente, ver o cenário, conhecer os personagens e seus nomes. Você pode sentar e viver naquele mundo que cresce espontânea e organicamente em sua imaginação.

Mas sentar para escrever não é tão fácil. Delinear claramente, formular, construir, moldar, dar vida de modo a transmitir o que você viu com seu olho da mente, e sentir em seu coração, isso requer energia criativa – às vezes, muita energia. Pesquisar a cena ou os personagens (ou “conferir o e-mail pela milionésima vez”) se torna muito mais fácil que o ato da criação.

O que fazer?

Resp. da autora: saber que a execução é uma parte íntima do processo criativo e reconectar-se com sua intenção maior, seja ela ajudar, entreter, ou ser um canal claro de expressão para a criação suprema. E, às vezes, é apenas trabalho duro. Nesses casos, uso um cronômetro para me forçar a voltar ao projeto.

 Para saber mais:

  1. Como Terminar o Que Você Começa – Um Plano de 5 Passos para Escritores: confira este incrível texto do site Write to Done por Ali Luke.

  2. Aprenda com os Grandes – 7 Hábitos de Escrita de Escritores Espetaculares: Leo Babauta traz preciosas dicas de escritores consagrados.

  3. 3 hábitos que separam bons escritores de presunçosos trágicos: saiba como ser um bom escritor com Glen Long, instrutor de escrita criativa.

  4. Book 7 coisas que aprendi: 58 escritores nacionais incríveis compartilham suas experiências neste eBook gratuito. Imperdível!

  5. Série 7 coisas que aprendi: página principal do projeto que convida escritores em diversas fases da carreira a compartilharem suas experiências.


Opiniões recentes

Comente à vontade!

Ou opine pelo Facebook:

Seguir

Inscreva-se e receba notificações de novos artigos por email.

Junte-se a outros seguidores.

%d blogueiros gostam disto: